sexta-feira, 4 de novembro de 2016

Solstício das Deusas 2015 | Edição SP


Celebraremos neste dia o Solstício de verão, um pouco antecipadamente, mas com toda energia e magia possível!!! O Solstício de verão marca o dia mais longo do ano, ou seja, teremos a influencia do Deus Sol agindo mais fortemente sobre nós, nos enchendo de luz! 

Em tradições antigas celebra-se o ritual de Litha. O sol nesse dia chega a seu ponto máximo de poder, um poder mágico e forte!!! Sejam bem vindos ao Solstício das Deusas 2015!!!! 3º Edição em Várzea Paulista/SP.

1. Ritual do fogo (Abertura)
Release: Trata-se do ritual do fogo. Um momento para celebrar e homenagear o deus Sol. 
Bailarinas: Nanda Nayad, Liana Matos, Gilmara Cruz, Inaura Ferreira e Viviane Andrade.





2. Feeling Good 
Release: Coreografia elaborada a partir de elementos básicos de tribal fusion e sua vertente burlesca. Com inspiração vintage e música de Nina Simone recriando um passado repleto de sentimentos e nuances apimentadas.
Bailarinas: Elektra Stúdio de Dança (Campinas-SP) – Andréa Elektra, Paty Thomaz, Ana Bea, Tati Nanni







3. Tribal Nomad
Resumo: Somos nômades tribais, livres pelas terras sem fim. Seguimos nosso caminho. Não vivemos como gados na miséria, crime, doença e suicídio. Temos corações fortes!!! Carregamos conosco nossa história, nosso ideal de tribo e nossa Dança.roviso de Derbake Bailarinas: Turma iniciante da prof. Gilmara Cruz – Inaura Ferreira e Viviane Andrade






4. Improviso de Derbake
Bailarinas: Juliana Santos e Nanda Rodrigues





5. Enigma 
Resumo: Inspirada no jogo de mistério, sensualidade e sedução presente no encontro da dança com a bailarina, a performance ENIGMA foi estruturada sobre a versão instrumental da música “Love me Like You Do” tocada pelo violinista Robert Mendoza.
Bailarina: Nanda Nayad (Várzea Paulista-SP)




6. Autumn Nightmares   
Bailarina: Natália Espinosa (Campinas-SP)




7. Venom 
Resumo: Abordando o tema sobre violência doméstica, a coreografia retrata a viúva negra. Utilizando elementos da dança contemporânea, experimentação teatro-dança e tribal fusion O enredo se desenrola quando uma dona de casa cansada de sofrer maus tratos envenena o marido.
Bailarina: Andréa Elektra e Daniel Jordão (Campinas – SP)



8. Uma sombra errante
Resumo: Uma sombra errante trata-se de um luto por aqueles destinados a vagar sem rumo, indigentes sem nome, sem reconhecimento, cuja morte sem lamento os aprisionaram à escuridão eterna. O nome da coreografia vem da frase shakeaspeariana: "A vida é uma sombra errante; um pobre comediante que se pavoneia no breve instante que lhe reserva a cena, para depois não ser mais ouvido. É um conto de fadas, que nada significa. Narrado por um idiota cheio de voz e fúria." Inspirada pela música "In the River" por A Hawk and a Hacksaw, utiliza-se de movimentos ondulatórios, nostálgicos e delicados. Com o sentimento de perda, melancolia e luto por aqueles que não tiveram alguém para se despedir. 
Bailarina: Natane Circe (São José do Rio Preto-SP)




9. Improviso de Clássica Oriental
Resumo: Improvisar uma música clássica árabe é se deixar levar pela emoção, pela melodia e pulsar no ritmo que ecoa não somente na música árabe, mas em nossos corações.
Bailarina: Liana Matos (Aracaju - São Paulo)



10. Immortality
Resumo: Chegará a morte ... e ainda estarei dançando .... “O temor da morte decorre da noção insuficiente da vida futura. Todo o ser humano nasce, cresce, luta, sonha, traça planos, constrói para o futuro para, finalmente, ceder à morte. – Allan Kardec 
Bailarina: Juliana Santos (Jundiaí-SP)



11. Elastic heart 
Bailarina: Natalia Espinosa (Campinas-SP)



12. Entombed in feeling 
Resumo:“Notadamente o que faria algo torna-se real não é a razão e lógica, mas o sentido, onde num sonho o consciente está submergido pelo subconsciente em seus sentidos sendo orientado apenas pelo sentido, emoções e instintos. A lógica tem sentido, mas nem todo sentido tem lógica, porém os sonhos independem disto, nisso a palavra chave é o sentido, o sentido perdido, como uma sobrelógica, algo que não compreendemos apenas sentimos...
Bailarina: Gilmara Cruz




13. ATS 
Resumo: O ATS é uma dança improvisada executada por meio de códigos “O código que nos une” disse a Maria Badulaques. Juntas as mulheres celebram sua vida e sua força em um momento descontraído e divertido!
Bailarina: Natália Espinosa/Natane Circe/ Juliana Santos/ Andréa Elektra



Agradecimentos: Gostaria de registrar meus sinceros agradecimentos a Liana Matos, Uelton Carvalho, Geralda Aparecida, Carlos Magno, Guilherme e Núcleo de Artes e Cultura anjos ao resgate; as convidadas Natane Circe, Juliana Santos, Natália Espinosa, Nanda Nayad, Andréa Elektra, Paty Thomaz, Ana Bea, Nanda Rodrigues e Tati Nanni por participarem deste evento cheio de magia; às minhas queridas aprendizes Viviane Andrade e Inaura Ferreira por todo apoio, dedicação e confiança! Quero agradecer ao Conselho Municipal da Cultura de Várzea Paulista que nos proporcionou o espaço, som e iluminação com toda boa vontade em nome da Cultura! Sem vocês este evento não aconteceria! Muito obrigada!!!!

Ficha técnica:
Filmagem: Uelton Carvalho e Liana Matos
Fotografia: Carlos Magno
Sonoplastia: Alexandre
Edição de vídeo: Liana Matos
Equipe de apoio: Liana Matos, Geralda Aparecida, Carlos Magno, Inaura Ferreira e Viviane Andrade.
Organização geral: Gilmara Cruz